Dedaleiro -Mudas Nativas de Dedaleiro

Arvores Nativas

D e d a l e i r o

Conhecida vulgarmente como dedaleiro, pacari, dedal, mangava-brava,amarelinho,candeia-de-caju,copinhoe louro-serra, a é uma planta de porte arbóreo, pertencente à família Lythraceae. O pacari ou  dedaleiroéencontradonosestadosdeMinasGerais,São Paulo,MatoGrossodoSul,chegandoatéSantaCatarina, nas Florestas Ombrófila Montana e Altomontana e nas FlorestascomAraucária.
Sua madeira é utilizada para fazer eixos de carros de boi, principalmente em Goiás, e a base da flor é usada como dedal, daí o nome popular, dedaleiro. De sua casca, madeira e sementes podem ser extraídos corantes para tecidos.
Na medicina popular, a casca é usada como cicatrizante e o pó obtido da folha seca é usado no ratamentodagastriteeúlcera(CARVALHO,2006). Desde o ano de 2007, a monitora a fenologia vegetativa e reprodutiva do dedaleiro. Estão sendo avaliadas 20 árvores, em áreas da Floresta Ombrófila Mista nos municípios de Colombo e Quatro Barras, no Estado do Paraná. As avaliações estão sendo realizadas seguindo o método de Fournier e Charpantier (1975), que estima a intensidade (%) de cada fenofase por meio de uma escala intervalar semiquantitativa de cinco categorias (0 a 4), com intervalos de 25 % entre cada um delas.
FenologiaVegetativa
FenologiaReprodutiva
A espécie apresenta brotação intensa no período da primavera. No período do verão e início do outono, as
árvores apresentam copas totalmente formadas. No período de seis meses, de maio a outubro
(inverno/primavera), a espécie apresenta uma intensa queda das folhas (Quadro 1). A espécie possui folhas
compostas, opostas, inteiras, lisas, brilhantes, coriáceas, pecioladas e com ápice obtuso. A espécie inicia seu período reprodutivo nos meses de novembro e dezembro no período da primavera.
Durante todo o verão ocorre o desenvolvimento dos frutos e, no período do outono, a maturação. A
dispersão dos frutos ocorre no período do inverno, na estação de menor pluviosidade (Quadro 1). As flores
são hermafroditas e reunidas em panículas terminal umbeliformes. Os frutos são do tipo cápsula
semilenhosa, indeiscente, semiglobosa com 4 cm a 8 cm de comprimento por 2,3 cm a 4,5 cm de diâmetro,
com ápice arredondado, terminando em cone, abrindo- se pela ruptura irregular das paredes do opérculo que se
desprende na maturação, na base, para deixar livres numerosas sementes, tendo inteiramente ao fundo, a

placenta seminífera, parda-escura

Autora
Colaboradores
Gizelda Maia Rego
André Santos Bortoleto e Wilson Maschio
Criação e arte-final: Luciane C. Jaques ( ) / Tiragem: sob demanda / Dezembro-2009
Embrapa Florestas
CGPE: 8236
Florestas Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Estrada da Ribeira, km 111, Colombo,PR, Cx.P. 319, CEP: 83411-000
www.cnpf.embrapa.br

 


Powered by http://wordpress.org/ and http://www.hqpremiumthemes.com/