Arvores de Camu Camu – Mudas de Camu Camu

 Camu-Camu

Arvore Nativa de Camu Camu

Você sabia ?

* O camu-camu (Myrciaria dubia) é da mesma família da goiaba e da jabuticaba.
* O ácido ascórbico (vitamina C) atua na síntese de colágeno. Por isso, o camu-camu tem sido aproveitado na indústria de cosméticos. Mas não se anime. A pesquisadora Rosalinda Pinedo alerta para a procedência ainda duvidosa desses produtos.
* Os flavonóides têm propriedades antimutagênicas e, por isso, atuam na prevenção do câncer. Existe a possibilidade de que o camu-camu seja um dos alimentos que, por possuir tais componentes, ajude a exercer esse efeito.
* O camu-camu também é conhecido como caçari e araçá-d’água.

Amargo que faz bem

Apesar de sua origem, o consumo da fruta pela população amazonense não faz parte do hábito alimentar regular. É o que conta a nutróloga Isolda Prado Maduro, que também é professora no curso de Medicina da Universidade Federal do Amazonas.

Ela entende que o amargor explica essa dificuldade do camu-camu. Porém, indica alternativas que já são consumidas, como picolés, sucos, néctar (obtidos pela mistura de polpa, açúcar e água, homogeneizado e pasteurizado), geléias, refrescos e sorvetes.

Como lembra a pesquisadora Rosalinda Pinedo, o pH baixo da fruta facilita seu processamento agroindustrial, pois protege-a da atuação de microrganismos patogênicos.

E, se a acidez dificulta o consumo in natura, “é desejável no processamento de suco. Pois o sabor acentuado permite diluí-lo mais e obter maior rendimento”, observa Rosalinda.

São como bolinhas de gude vermelho-escuras. Mas, ao invés do brilho de vidro, elas são recobertas por uma casca opaca, dura e grossa, com uma fina camada que parece uma penugem. Por cima, uma coroinha de minúsculas folhas cobrindo a careca do rei. O rei da vitamina C. Essa fruta amazônica é bastante cultivada no Peru, tem chamado cada vez mais atenção no Estado de São Paulo e anda fazendo muitas viagens ao Japão. Poliglota desse jeito, mas ainda pouco conhecida, a fruta do camu-camu escorre sua polpa cor de púrpura em sucos, geléias, refrescos. Se a cor é atrativa, o gosto da fruta in natura não agrada qualquer paladar. Muito ácida e amarga, especialmente quando comida com casca, motiva seu aproveitamento em formas de preparo nas quais o beneficiamento da fruta transforma a bolinha de gude amarga em receitas para o café da tarde ou aperitivos. Uma de suas metamorfoses resulta em tabletes e cápsulas de vitamina C. Afinal, estamos falando da fruta com o maior teor dessa vitamina em todo o mundo.

http://www.senado.gov.br/senado/portaldoservidor/jornal/jornal95/nutricao_camu_camu.aspx

 

Powered by http://wordpress.org/ and http://www.hqpremiumthemes.com/